Visão FM 87,9

A rádio que tem o seu jeito

“Há conhecimento de dois tipos: sabemos sobre um assunto, ou sabemos onde podemos buscar informação sobre ele.”

Samuel Johnson
Saiba Mais

Você sabe o tamanho de seus sonhos?

Ao iniciar mais um dia você tem a convicção de que está vivenciando uma nova oportunidade de realizar seus sonhos ou você liga o piloto automático e consome as horas em tarefas rotineiras, sem se atentar por que elas precisam ser realizadas?

Entrevista com Cesar Souza*

por César Gnan

Em entrevista com o consultor e escritor César Souza, o Mundo8 discute a capacidade de sonhar das pessoas e, melhor, como é importante ter a mente focada para as realizações.

Pare e pense: com certeza sua mente já foi preenchida por um sonho. E hoje? Como ela está? Continua sonhadora, se transformou em realizadora ou é simplesmente uma cumpridora de compromissos?

Em seu livro “Você é do Tamanho dos seus Sonhos” você traz uma versão de Plano de Negócios pessoal que dá as diretrizes para a realização de um sonho. As pessoas perderam a capacidade de sonhar ou não sabem realizar um sonho?

César Souza: As pessoas estão abdicando da sua capacidade de sonhar. Submersas na rotina da vida e na grande pressão profissional, acabam lutando pela sobrevivência do curto prazo e param de acreditar em seus sonhos. Estão mais preocupadas em pagar as contas, “correr atrás do prejuízo” e sempre alegam falta de tempo. Outras pessoas, quando conseguem sonhar, pensar no futuro, se perdem na capacidade de realizar o sonho. Não sabem lutar pela realização deles. Acabam jogando a toalha, sucumbindo aos obstáculos e atribuindo a culpa dos seus fracassos aos outros. Poucas entendem que o sucesso ou o fracasso dependem mais do que a própria pessoa faz consigo e com seus sonhos do que o que o mundo ou as outras pessoas fazem a elas. Por essa razão sugeri no livro um plano de ação, exatamente para ajudar as pessoas. Esse plano pode ser obtido gratuitamente em um download no site www.tamanhodosseussonhos.com.br

O seu livro ensina o indivíduo a conciliar a necessidade instantânea da sobrevivência com a busca pela situação ideal?

César Souza: Não se trata bem de “ensinar”, mas de provocar o leitor a buscar o equilíbrio entre o curto e o longo prazo. Sempre digo que precisamos garantir o presente enquanto construímos o futuro!

Você coloca uma grande quantidade de fatores da vida moderna que inibem a realização de um sonho, como rotina, criação dos filhos, pressão, entre outros. O fato das pessoas perderem a capacidade de perseguirem seus objetivos vem exclusivamente desses fatores atuais ou nós não somos criados (nas escolas e pelos nossos próprios pais) para sermos vencedores?

César Souza: As duas coisas. De um lado, a pressão da realidade é grande em termos de trabalho, rotina, compromissos, família, saúde, comunidade. É muita coisa. De outro lado, nossa forma de pensar que faz com que percamos tempo buscando desculpas e tentando encontrar culpados. E também essa falha na nossa educação familiar e escolar que não nos ensina para sermos vencedores e realizadores e sempre tentam nos inibir e nos fazem desistir de nossos sonhos. Vivemos numa “Sociedade do Não”: não pode, não vai dar certo, não tente… etc sempre nos desestimulando a sair da caixa e visando sempre enquadrar as pessoas numa dose elevada de conformismo e acomodação.

A realização de um sonho vem sempre acompanhada de mudanças radicais?

César Souza: Sim, se entendermos que a mudança mais radical é assumirmos as rédeas de nosso destino, colocar a faca nos dentes e partir pra lutar pela nossa felicidade. A mudança radical é deixar de pensar que é a empresa, o governo, a família, as instituições que irão resolver nossos problemas e nos dar felicidade. A fonte da felicidade está dentro de cada um e quem ficar esperando que a empresa ou o governo realize os seus sonhos vai perder o bonde da vida e ficar à margem não dos outros, mas à margem de si mesmo.

A primeira edição do livro foi em 2003. Seis anos depois as pessoas estão mais sonhadoras ou realizadoras?

César Souza: O livro influenciou a vida de mais de 200 mil pessoas. Chegou a cerca de 150 mil o número de exemplares vendidos. A nova edição vendeu 30 mil exemplares em poucos meses. As pessoas estão ainda mais ávidas para encontrar seu rumo. A frustração é muito grande. As pessoas estão mais sonhadoras e menos realizadoras. Percebo que as elas estão sendo atropeladas pela realidade e tendo dificuldade de lutar pelos seus sonhos

Como despertar um sonho? Existe um grande número de pessoas que simplesmente se perdem no meio do caminho e não identificam mais o que realmente querem. Seja na profissão ou pessoalmente. Como revelar ou reviver o sonho nessas pessoas?

César Souza: Sugiro realmente que façam o download do Workbook sobre como pensa sobre seus sonhos, como tirá-los da cabeça e colocá-los no papel e depois como tirá-los do papel e transformá-los em realidade. Temos de aprender a desengavetar nossos sonhos, tirá-los das prateleiras mentais e voltar a curti-los. O primeiro passo é perguntar: qual o meu sonho quando tinha dez anos de idade? E aos dezoito? E agora?

Existe um sonho impossível?

César Souza: O importante é tentar. Impossível não há! Lembro da música “Sonho Impossível” imortalizada na voz de Maia Betania, que era uma versão do Chico Buarque e do Ruy Guerra. Ela nos ensina a ver a flor “brotar desse impossível chão”.

Você cita vários exemplos de pessoas realizadoras. Vai de gigantes às micro empresas. Mas com certeza existe uma quantidade enorme de pessoas que seguem o mesmo caminho, são persistentes, buscam o que querem, mas não conseguem. São anônimos prontos para serem exemplos como os que você cita no livro. Existe influência de fatores externos que inviabilizam um sonho? Como anulá-los?

César Souza: Sim, a perda da saúde, a morte de algum ente querido, o fracasso no investimento financeiro em um projeto, a presença de um chefe insuportável, ou um parente castrador, todos esses são fatores externos. Mas sugiro: demita seu chefe. Ou seja: procure outra empresa onde possa ser mais feliz, cuide da saúde, dê prioridade aos seus sonhos!

Qual a diferença entre persistência e teimosia?

César Souza: Teimosia é a persistência burra. Trata-se de ficar insistindo em algo com pouca probabilidade de dar certo. Sonhos são alvo móveis. Às vezes temos de saber recuar, mudar o sonho, reconfigurá-lo, realizar uma etapa intermediaria, depois refocar no sonho principal. Minha sugestão é: no seu mapa de sonhos, escolha os mais factíveis, realize, conquiste pequenas vitórias, ganhe autoconfiança e parta para o sonho maior! Seja persistente, não desista, mas não seja teimoso.

Qual o tamanho do seu sonho?

César Souza: o tamanho do meus sonho é ser feliz de forma equilibrada nas diferentes dimensões da minha vida: saúde, qualidade de vida, amor, filhos felizes, sucesso profissional, e ser um bom cidadão. Não adianta sermos uma estrela brilhante no trabalho e uma lua minguante em casa.

César Souza é consultor, palestrante, escritor e presidente da Empreenda. Com sólida experiência como executivo, César Souza foi até 1998 Vice Presidente da Odebrecht of América, Inc, radicado em Washington nos EUA, onde implementou uma visão de negócio que muito contribuiu para a internacionalização da empresa. Abriu mercados, implantou a empresa e conquistou contratos em Portugal, Argentina e Angola. Em 1992, o World Economic Fórum o nomeou como um dos “200 Global Leaders for Tomorrow”. Até 2001 foi sócio-diretor do Monitor Group, empresa fundada por Michael Porter.